Notícias

Pró-Sangue investe em programa de reciclagem
para agências transfusionais


Treinamento visa a maximizar a segurança transfusional

Não basta simplesmente coletar o sangue. Quando o assunto é segurança transfusional, há de se ter muito cuidado e desvelo com esse precioso insumo.

Mas aqui na Pró-Sangue carinho e dedicação não faltam com o sangue do doador. A Fundação adota um rígido controle na oferta de hemocomponentes, que vai desde a captação de seus doadores, passando pela coleta e fracionamento do sangue até a liberação da bolsa para os hospitais. Todos os seus procedimentos estão ancorados em um sistema de Gestão da Qualidade, concordante com a legislação vigente e com os padrões internacionais de qualidade.

Entre a bolsa coletada e o paciente, o sangue tem um longo caminho a percorrer. Antes de ser transfundido, precisa receber um prévio preparo. Cada hemocomponente tem que passar por testes sorológicos e imunematólogicos (tipagem sanguínea).

Mas o trabalho não para por aqui. Mesmo após a tipagem e sorologia, o sangue é submetido a uma série de testes pré-transfusionais, realizados nas agências transfusionais por profissionais altamente especializados que, antes de liberar qualquer bolsa para um paciente, analisam criteriosamente cada pedido médico de hemocomponente.

Aqui nesse ponto, a responsabilidade desses profissionais é enorme. Tem o peso de “carregar o mundo nos ombros”. Afinal, qualquer incompatibilidade sanguínea entre doador e receptor pode trazer efeitos adversos.

Programa de Reciclagem - De modo a maximizar a segurança transfusional, a Pró-Sangue está oferecendo um treinamento de qualificação ("Reciclagem em Agência Transfusional") para os hospitais abastecidos pela instituição.

A Fundação está dividindo, sem qualquer custo agregado, sua expertise em hemoterapia acumulada em 36 anos de jornada, junto aos profissionais dessas instituições que estão envolvidos no processo pré-transfusional que dá suporte à transfusão propriamente dita.

O programa de reciclagem trata de aspectos determinantes para a garantia transfusional. Dentre os temas abordados, incluem-se a análise dos pedidos de hemocomponentes, testes pré-transfusionais (PAI, TAD e teste de hemólise), tipagem ABO-Rh, análise da presença de anticorpos irregulares, avaliação da necessidade terapêutica, testes de compatibilidade entre doador e receptor (prova-cruzada), controles de qualidade e validação de reagentes.

A ideia é zelar pela saúde de cada paciente e garantir que o sangue do doador seja utilizado da melhor forma possível.

Mais informações sobre o programa podem ser obtidas enviando um e-mail para intercambios@prosangue.sp.gov.br.